SELEÇÃO DE FUTSAL EM CRISE

Após ano marcado pela decepção na Copa do Mundo disputada na Colômbia, onde a Seleção foi eliminada ainda nas oitavas de final pelo modesto Irã, o futsal brasileiro vive mais uma polêmica já no início de 2017. O ponto de partida seria a possibilidade de uma nova gerência do selecionado principal, que passaria a ser comandada pela entidade máxima do futebol brasileiro, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol), de acordo com o Globoesporte.Com.
De acordo com a apuração, a Confederação Brasileira de Futsal (CBFS) estaria atravessando uma crise financeira e a mudança será anunciada nos próximos dias, mais precisamente na quinta-feira (5), quando a CBF irá promover uma entrevista coletiva já anunciando o novo técnico da Seleção, PC Oliveira. Dentro do novo modelo de gerência, a CBFS ficaria responsável apenas pelas seleções de base e pelo registro de atletas e organização de competições como a Taça Brasil de Clubes e a Superliga.
Outra versão
No entanto, a situação parece longe de uma definição, segundo apurou a reportagem do Diário do Nordeste. Um dos que se mostraram surpresos com a possibilidade de mudança foi o diretor de marketing da CBFS, Bernardo Caixeta Chaves. O dirigente confirmou que a entidade na qual ele trabalha irá retomar as atividades no próximo dia 9 e que já estão em pauta a programação para o próximo Mundial, além de outras questões. Bernardo disse, ainda, que a CBFS tem um bom relacionamento com a CBF, mas que desconhece qualquer possibilidade de uma transferência de gerência da Seleção de Futsal para a outra entidade. "A CBFS está sempre em contato com a CBF, se reunindo, e ambas tem uma relação muito boa, mas uma é independente da outra, totalmente", disse o dirigente. A reportagem tentou entrar em contato com o atual presidente da CBFS, Marcos madeira, mas não obteve sucesso.
Insatisfação
No início de 2015, o craque Falcão, considerado o maior nome do futsal brasileiro e eleito quatro vezes melhor jogador do mundo na modalidade, expôs sua insatisfação com a então gestão da CBFS, onde falou em nome de vários jogadores. Nas declarações, o atleta ressaltou a 'briga política' na entidade e defendeu a realização de eleições diretas. "Sabemos que está havendo uma briga política interna. O lado contrário acha que a atual presidência vai deixar o cargo, e a presidência vai ser deles. Quem está encabeçando é o presidente da Federação Mineira (Marcos Madeira), que eu acredito estar com boa vontade, nada contra ele, mas é presidente da sua federação há mais de 30 anos. Isso a gente não concorda. Se estão sendo provadas coisas contra o atual presidente, ele tem de sair e ter nova eleição", disse o jogador à época.
Nesse tempo, a CBFS era comandada pelo dirigente Renan Tavares, que mais tarde seria indiciado juntamente com outras pessoas ligadas ao esporte, como o ex-presidente da entidade, Aécio de Borba, pela Polícia Civil cearense.
SAIBA MAIS
Mundial de 2016
Após eliminação para o Irã, nas oitavas de final, o craque Falcão disse que não jogaria mais pela Seleção Brasileira de Futsal. Na oportunidade, ele foi ovacionado pelos jogadores iranianos
Sem patrocínios
Na mesma competição, o Brasil jogou sem nenhum patrocínio estampado nas camisas, sendo que a CBFS ficou impossibilitada, nos últimos anos, de negociar patrocínios com empresas estatais por problemas em seus balanços financeiros

FONTE :DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário