Encontro reúne bicicletas antigas

O Encontro Anual de Bicicletas Antigas de Fortaleza chegou à quarta edição com cerca de 60 magrelas das décadas de 1930 a 1980 estacionadas na Praça do Delta, no bairro Parangaba, na manhã deste domingo. A cada ano, um destino é escolhido para ser palco do evento. Em 2016, os organizadores resolveram repetir a escolha de 2014 devido ao bairro ter uma concentração maior dos seus colecionadores.
Entre as raridades reunidas ontem, a mais antiga era a alemã Wanderer Damas 1937. Comprada na Argentina há dois anos pelo colecionador João Júlio Sombra, a bicicleta antiga mostrava algumas curiosidades para os visitantes que passavam pelo evento. Uma delas é a rede na roda traseira. Por se tratar de uma bicicleta feminina, esse item servia para evitar que as saias longas enganchassem durante o percurso. Essa característica também era muito bem-vinda e utilizada pelos padres, ao pedalarem com suas batinas.
Outra particularidade da antiguidade, é o freio na própria roda, que também servia para tirar o gelo do pneu. A Wanderer Damas 1937 de João Júlio é apenas uma do acervo de 20 unidades do colecionador, que, dentre tantas relíquias, ainda guarda a sua primeira bicicleta: uma Monareta 1974.
Oportunidades
Além de se reunirem para exibir suas antiguidades, a ocasião foi oportunidade para os expositores e visitantes venderem e comprarem, não apenas peças, mas também bicicletas antigas, além, é claro, das trocas de informações. Aliás, foi por essas razões que houve a motivação de organizar o primeiro encontro em 2013, que aconteceu na Praça dos Mártires, mais conhecida como Passeio Público.
Conforme um dos organizadores, Marco Ximenes, os colecionadores tinham que tirar dúvidas sobre as restaurações por telefone, pelas redes sociais ou indo uns às casas dos outros. Foi a partir daí que resolveram fazer esse grande encontro para facilitar a troca de dados, inclusive com a presença de pessoas de outras cidades e Estados, como é o caso Josafá Ferreira da Costa.
Morador de Tangará, no Rio Grande do Norte, o colecionador fez questão de estar presente no encontro. O expositor aproveitou para trazer um item de seu acervo pessoal, uma Monark barra circular infantil 1986. Essa não é a única da marca em sua coleção. Na verdade, dentre as mais de 60 bicicletas em sua coleção, a maioria é dessa marca nacional. Josafá tem praticamente todas as produzidas pela empresa, desde as da década de 1970 até 1980.
E, para completar o clima de retorno ao passado, cartazes antigos de lançamentos de algumas bicicletas foram pregados no entorno do encontro, como a da "Surpreendente Caloi 66" ou então a da "Monark Copa do Mundo", com os dizeres "Pelé faz gol, Monark faz a bicicleta". Para quem perdeu o encontro neste ano, em 2017 tem mais.
FONTE :DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário