Manifestação na Beira Mar pede saída de Temer

Movimentos sociais organizaram protestos em todo o Brasil contra o governo de Michel Temer, nesta quarta-feira, 7, feriado pelo Dia da Independência do Brasil. A concentração emFortaleza começou na estátua de Iracema na avenida Beira Mar, por volta das 16 horas, com a presença do MST (Movimentos dos Trabalhadores Sem Terra), CUT (Central Única dos Trabalhadores), UJS (União da Juventude Socialista) e partidos de esquerda, como PSOL, PT, e o Mais (organização que rompeu com o PSTU).
Os manifestantes caminharam até o Náutico, onde resolveram seguir em direção ao Anfiteatro da Beira Mar.  A mobilização, que propôs mais um ato "Fora, Temer" neste domingo, 11, foi pacífica durante todo o percurso, mas balas de borracha foram disparadas no fim do ato.
A organização do protesto estimou uma total de 15 mil pessoas, até o início da noite.
Por volta das 17h13min, os manifestantes começaram a sair da Praia de Iracema, pela Ildefonso Albano, em direção à avenida Monsenhor Tabosa. Eles chegaram a fechar a avenida Historiador Raimundo Girão e passaram pela Barão de Studart para voltar à Beira Mar e seguir em direção ao Náutico.
FONTE : O POVO
A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que equipes da Polícia Militar acompanharam o protesto, mas não divulgou a quantidade do efetivo nem fará estimativa do número de participantes. A Autarquia de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC) orientou o trânsito no entorno da Beira Mar e recomendou aos motoristas a evitassem transitar pela região, por conta do bloqueio das vias durante a passagem dos manifestantes.
Balas de borracha foram disparadas pela Polícia na área do Anfiteatro, por volta das 19h30min, de acordo com os manifestantes. Pelo menos duas pessoas foram detidas e outras ficaram feridas com os disparos. ''A Polícia estrategicamente esperou o ato se dissipar para atacar as pessoas que estão dentro da manifestação. Quando as pessoas estavam indo ele chegaram para atacar", relatou a estudante da Universidade Federal do Ceará, Julianne Pinheiro.
Ian Gabriel disse que uma pedra foi jogada contra um prédio por um grupo de Black Bloc e um carro foi incendiado. "A Polícia veio lá de cima fechando um cerco. Houve dois tiros de bala normal e quatro de borracha", narrou. 
''Foi completamente pacífica, acompanhei todo o tempo quando me avisaram dessa intervenção policial. Isso é um absurdo, vamos virar São Paulo, onde são probidas manifestaçoes? O Temer baixa a ordem e o Camilo segue e reprime? É lamentável porque desde a saída da praia de Iracema foi tudo muito pacífico", questionou o candidato à Prefeitura de Fortaleza, João Alfredo (PSOL). 
Segundo um professor, identificado apenas como Leonardo,  a Polícia atirou para cima e jogou bombas de efeito moral. "Chegou causando terror nos manifestantes. A Polícia aqui do Ceará agindo como a de São Paulo, tentando criminalizar àqueles que estão lutando, justamente, contra isso. Foi uma surpresa, a galera não entendeu essa atitude truculenta". 
"A gente estava gritando só Temer fascista, ninguém fez nada, ninguém agrediu. Eles só chegaram atirando, bateram em um colega meu. A Polícia sem nenhum treinamento. É isso que a Polícia em toda comunidade pobre de Fortaleza", contou ao O POVO o estudante do Ensino Médio, Rennede Silva. 
O POVO tentou contato com o porta-voz da PM, tenente-coronel Andrade Mendonça, mas as ligações não foram atendidas. No fim da noite desta quarta, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) enviou nota informando que a manifestação  ocorria pacífica,  "embora no percurso cerca de 50 pessoas, provavelmente infiltradas, realizaram atos de vandalismo, pichando e quebrando fachadas". "Na dispersão, policiais militares que estavam no local utilizaram munição menos letal para dispersar um grupo, após pedras terem sido atiradas em uma viatura. Uma pessoa foi detida. A SSPDS informa ainda que possíveis excessos por parte dos policiais serão devidamente apurados", completa. 
Manifestantes denunciam golpe
O ato foi organizado por movimentos sociais, estudantes e manifestantes contrários ao impeachment. No Facebook, o “1º Grande Ato - Fora Temer em Fortaleza” contava com a confirmação de mais de 14 mil pessoas.
A historiadora Elce Linhares é uma das participantes do ato nesta tarde. "Como historiadora, me vejo na obrigação de lutar pela democracia do Brasil", diz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário