Fortalezense avalia que mobilidade melhorou nos últimos quatro anos

Para a maioria dos que se locomovem por Fortaleza — a pé, de carro, de moto, de bicicleta ou de ônibus —, a mobilidade na Capital progrediu nos últimos quatro anos, principalmente no que se refere aos últimos dois modais. Conforme pesquisa O POVO/Datafolha, feita entre os últimos dias 8 e 9, 69% da população acredita que o deslocamento de ônibus melhorou muito ou um pouco. Além disso, 57% dos entrevistados notam que têm melhorado as viagens de ciclistas.
Com base no relato de 816 pessoas de 16 anos ou mais, o levantamento detalha que a maior parte da população (74%) se desloca de ônibus, enquanto 22% movem-se a pé, 21% de carro, 15% de moto, 8% de bicicleta, 5% de vans (micro-ônibus, perua ou lotação) e 4% de táxi.

Apesar de existirem queixas sobre a redução do espaço dos veículos automotores particulares (devido a faixas exclusivas para transporte público, ciclofaixas e ciclovias), entrevistados pela pesquisa enxergam avanços para quem trafega de carro e de moto. Em relação ao primeiro, 48% consideram que o deslocamento melhorou muito ou um pouco; 27% acreditam que piorou.

Já sobre a motocicleta, 33% dos entrevistados consideram que melhorou muito ou um pouco; para outros 21%, piorou. “Melhorou para bicicleta, ônibus e táxi. Arruinou para moto e carro. Mas melhorou a convivência, porque não tem nem mais como os carros fecharem a gente”, avalia o motociclista Francisco Raul Ferreira, 52.

As caminhadas também estão melhores, avalia a pesquisa: 44% afirmaram que melhorou muito ou um pouco; 28% disseram não ter melhorado nem piorado. “O que me incomoda são os obstáculos nas calçadas. Para o pedestre isso ainda é problema”, reclama a professora aposentada Regina Lúcia, 74. 
 
Mais pessoal
Para Mário Ângelo Azevedo, professor do Departamento de Engenharia de Transportes da Universidade Federal do Ceará (UFC), continuar investindo no transporte coletivo é preciso para que perdure a percepção de melhoria na mobilidade urbana. 

Entretanto, o especialista pontua que para isso é necessário “dotar a Cidade de uma gestão mais sólida” com o aumento de funcionários da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) e da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), a fim de melhorar o monitoramento e a fiscalização de estruturas de priorização do sistema.
 Conforme a pesquisa, somente 1% da população usa metrô em Fortaleza.
Eleitores
A pesquisa questionou a intenção de voto dos usuários de diferentes modais da Capital. O ônibus é unanimidade como principal forma de deslocamento dos eleitores dos quatro colocados mais bem colocados pelas intenções de voto. Além dos coletivos, 30% dos eleitores da petista Luizianne Lins dizem andar a pé. 

A alternativa a 33% dos eleitores de Heitor Férrer (PSB) é o carro. Uma das propostas do candidato é a remoção de 50% dos fotossensores de trânsito de Fortaleza, que beneficiaria principalmente motoristas. A segunda maior parcela dos eleitores de Roberto Cláudio (PDT) é pedestre. Para os eleitores do Capitão Wagner (PR), além dos ônibus, predominam os motoristas de carros. 
 
FONTE : O POVO online

Nenhum comentário:

Postar um comentário