preso o senador Delcídio do Amaral pela polícia federal

Esta é a primeira vez que um senador com mandato em exercício é preso, já que a Constituição Federal só permite a prisão de parlamentar em crime flagrante de crime
O senador Delcídio Amaral (PT-MS) foipreso na manhã desta quarta-feira (25) pelaPolícia Federal numa operação autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), depois que o Ministério Público Federal (MPF) apresentou evidências de que o legislador estaria obstruindo as investigações daoperação Lava-Jato.
O parlamentar teria sido preso em flagrante por ameaçar o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró e oferecer a ele fuga do Brasil, o que configuraria obstrução da Justiça. A motivação seria evitar que Cerveró revelasse informações sobre o esquema de corrupção da estatal, incluindo a compra da refinaria de Pasadena (Texas), nos Estados Unidos. A prisão é preventiva, ou seja, não há prazo definido para que amaral deixe a prisão. 
A negociação entre Delcídio do Amaral foigravada por um filho de Cerveró. Também foram presos na ção o banqueiro André Esteves, presidente do banco BTG Pactual; o chefe de gabinete do senador, Diogo Ferreira; e o advogado Edson Ribeiro, que já trabalhou para Cerveró.
Esta é a primeira vez que um senador com mandato em exercício é preso, já que aConstituição Federal só permite a prisão de parlamentar em crime flagrante de crime. A PF também fez busca e apreensão no gabinete do petista, no Senado, em Brasília, e nos estados do Rio, de São Paulo e de Mato Grosso do Sul. A prisão foi autorizada pelo ministro-relator da Operação Lava-Jato no STF, Teori Zavaski.
A prisão de Delcídio é resultado de uma operação deflagrada pela Polícia Federal, que também tem como alvo empresários. Não se trata de uma fase da Lava Jato tocada em Curitiba, na 1ª instância.
O senador foi preso no hotel Golden Tulip, onde mora em Brasília mesmo local onde na terça-feira (24) a PF prendeu o empresário José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O senador foi levado à sede da PF, também na Capital Federal.
 
Delcídio foi citado na delação do lobista Fernando Baiano, apontado pela Lava-Jato como operador de propinas no esquema de corrupção instalado na Petrobras entre 2004 e 2014. Fernando Baiano disse que o senador teria recebido US$ 1,5 milhão em espécie na operação de compra da refinaria.
Fonte : Diário do Noredeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário