Como perder peso

Treinar na tal zona de queima de gordura funciona?

Estudos recentes apontam um caminho mais rápido e mais eficiente para a perda de peso e de gordura

O verão vem chegando e, com isso, já é possível notar o aumento do número de pessoas correndo nos parques, nas ruas e também na esteira. Afinal, todos querem exibir um corpo mais magro, seja na praia ou na piscina. Eu observo muita gente adotando aquela fórmula que calcula a “zona de queima de gordura”, isto é, uma intensidade bem leve e que costuma ficar entre 70% e 80% da frequência cardíaca máxima. Será que o uso dessa “fórmula” funciona, ou seja, realmente ajuda a emagrecer?

Fonte : Sport Life Brasil 

Um fenômeno muito comum é o corredor gordinho. Não é raro notar corredores e corredoras que, apesar de treinarem no mínimo três vezes por semana, apresentam alta porcentagem de gordura no corpo. Conversando com muitos deles e tentando entender o porquê disso, escuto relatos do tipo: “professor, sigo uma alimentação balanceada e corro regularmente e, ainda assim, não consigo emagrecer.... O que será que acontece?" Porque, teoricamente, quem se exercita com regularidade e controla as calorias ingeridas deveria ficar mais magro. Só que o emagrecimento não é uma equação tão simples como se pensa:

Gasto – ingestão calórica = emagrecimento

Sem dúvida, um balanço calórico negativo (gastar mais do que se ingere de calorias) ajuda na fase inicial do emagrecimento. Nas primeiras três ou quatro semanas, correndo e fazendo dieta, o corpo vai responder muito bem, queimando mais gordura. No entanto, o nosso organismo é muito inteligente e vai buscando meios de tornar-se mais econômico para poupar energia. Até porque é um mecanismo de defesa. Ele não sabe que você não ficará tão magro a ponto de sacrificar a sua saúde (infelizmente, alguns fazem isso). Aí o processo de emagrecimento empaca. O que fazer?
Estudos recentes1 mostram caminhos interessantes para potencializar a queima da gordura, principalmente acelerando nosso metabolismo em repouso. Enquanto a corrida leve e prolongada ocasiona a queima de gordura durante o exercício, os treinos intervalados intensos e curtos (IIC) fazem isso após o treino, e por várias horas. Além disso, os IIC deixam nosso metabolismo mais acelerado (gastando mais calorias do que o normal) por até dois dias após o término do treino.
Abaixo, um exemplo que extraio de um estudo2 em que mulheres jovens alternaram 8s bem intensos com 12s de baixa intensidade por apenas 20 min. Um outro grupo de mulheres da mesma faixa etária realizou o protocolo tradicional de emagrecimento, ou seja, 40 min de treino em baixa intensidade. Após 12 semanas, apenas o grupo de alta intensidade emagreceu, cerca de 2,5kg.
Assim, se o seu objetivo é realmente livrar-se daquelas gordurinhas, o caminho para o emagrecimento passa por treinos que contrariam o senso comum: intervalos de esforço máximo com períodos de recuperação em baixa intensidade. Você pode continuar correndo devagar e apreciando a paisagem, desde que o objetivo não seja emagrecer. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário